Perguntas e Respostas
Nessa seção você poderá tirar todas as suas dúvidas sobre a Dopagem no Esporte e também sobre as ações que a compõem.

 

 
 

 

 

Prejuízos para a Saúde do Atleta

 

1) O que são anabolizantes?

Anabolizantes são hormônios esteróides naturais e sintéticos que promovem o crescimento celular e a sua divisão, resultando no desenvolvimento de diversos tipos de tecidos, especialmente o muscular e ósseo. São substâncias geralmente derivadas do hormônio sexual masculino, a testosterona, e podem ser administradas principalmente por via oral ou injetável.

2) Quais os prejuízos para a saúde do atleta que usa anabolizantes?

Na mulher, pode provocar aumento dos órgãos genitais (hipertrofia do clitóris), diminuição do tamanho dos seios, crescimento dos pelos da face e do corpo e desenvolvimento de características masculinas da voz. No homem, pode ocasionar o aparecimento de seios e, em atletas mais jovens, o encerramento precoce das cartilagens de conjugação inibindo seu crescimento.

3) Que outros problemas o uso de anabolizantes pode gerar?

O uso de anabolizantes pode gerar alterações de comportamento, tais como aumento da agressividade e desenvolvimento de dependência psíquica. Além disso, causam efeitos secundários no sistema reprodutivo podendo, em dosagens elevadas e administração prolongada, provocar ausência de ciclo menstrual (amenorréia) no sexo feminino e atrofia testicular no sexo masculino, conduzindo, em ambos os casos, à esterilidade.

 

4) Que doenças graves são causadas pelo uso de anabolizantes?

Tumores hepáticos (carcinomas hepatocelulares, hepatomas, adenomas etc), câncer de próstata, doenças cardiovasculares (AVC, enfartes do miocárdio e arteriopatias dos membros inferiores que podem conduzir à amputação dos mesmos.

5) Os efeitos colaterais dos anabolizantes cessam se o uso for interrompido?

Não. Em muitos casos os efeitos colaterais mais graves aparecem décadas depois de sua utilização.

6) O que são hormônios peptídicos e análogos?

Os hormônios peptídicos e análogos são substâncias que atuam no organismo de modo a acelerar o crescimento de determinados órgãos e tecidos, melhorando diversas funções orgânicas. A gonadotrofina coriônica humana, o hormônio do crescimento, o hormônio adrenocorticotrófico, a eritropoetina e a insulina são alguns exemplos de hormônios peptídicos e análogos.

7) Quais os prejuízos para a saúde do atleta causados pelo hormônio “gonadotrofina coriônica humana”, mais conhecido como hCG?

Este hormônio aumenta a produção de esteróides endógenos (como a testosterona) e o seu uso por atletas deve-se à sua capacidade de proporcionar o aumento do volume e potência dos músculos. Pode causar efeitos secundários potencialmente nefastos ao organismo relacionados à produção excessiva de testosterona.

8) Quais os prejuízos para a saúde do atleta causados pelo hormônio do crescimento, mais conhecido como hGH?

O uso do hCG proporciona aumento significativo de vários tecidos do organismo, entre eles, o tecido muscular. O uso prolongado de quantidades excessivas do hormônio do crescimento pode produzir efeitos colaterais prejudiciais ao organismo, tais como a acromegalia (crescimento desmedido das mãos, pés, cara e de alguns órgãos), intolerância à glicose, compressão de nervos periféricos, hipertrofia cardíaca e doenças articulares. Outros efeitos a retenção de líquidos e de sódio, originando sobrecarga cardíaca, o aparecimento de diabetes e maior incidência de tumores malignos (ex: leucemias).

9) Quais os prejuízos para a saúde do atleta causados pelo hormônio adrenocorticotrófico, mais conhecido como ACTH?

O hormônio adrenocorticotrófico, ou ACTH como é usualmente conhecido, é uma substância que aumenta o nível endógeno de corticosteróides. Usado por períodos prolongados pode provocar enfraquecimento muscular acentuado. Dentre os principais efeitos que pode causar ao organismo destacam-se a insônia, a hipertensão arterial, diabetes, úlceras gástricas, perda de massa óssea e dificuldades de cicatrização das feridas.

10) Quais os prejuízos para a saúde do atleta causados pela eritropoietina, mais conhecida como EPO?

Este hormônio promove o aumento do número de glóbulos vermelhos (hemácias) no sangue e desse modo proporciona um maior transporte de oxigênio para as células. Dentre os principais efeitos causados pelo uso deste hormônio destacam-se o aumento da viscosidade sangüínea em decorrência do maior número de hemácias no sangue, a hipertensão arterial, possíveis infartos do miocárdio e cerebral, embolia pulmonar, insuficiência cardíaca e outras situações graves que podem conduzir à morte.

11) A utilização de EPO pode ocasionar anemia?

A utilização continuada de EPO pode originar a produção de autoanticorpos antieritropoietina que podem conduzir ao aparecimento de anemia de difícil tratamento, com a inevitável diminuição do rendimento esportivo

12) Se a EPO mantém vivas milhões de pessoas com insuficiência renal em todo o mundo, por que seu uso é prejudicial à saúde do atleta?

A diferença é simples: nos casos de pacientes com problemas renais crônicos a utilização de EPO visa repor os níveis normais de glóbulos vermelhos e hemoglobina no sangue; no caso dos atletas o efeito será de aumentar esses níveis que já são elevados em função da prática esportiva.

13) Quais os prejuízos para a saúde do atleta causados pela insulina?

A insulina é um hormônio produzido no pâncreas e tem um papel muito importante no metabolismo dos glicídios. A diabetes é originada por um déficit de produção de insulina e seu uso indiscriminado por atletas pode desencadear hipoglicemia e levar à morte em poucos segundos.

14) A administração de uma única dose de insulina pode provocar a morte?

A administração de uma única dose de insulina pode resultar em um déficit de açúcar no sangue (hipoglicemia) que pode causar a morte num curtíssimo espaço de tempo por falta de glicose, único carburante utilizado pelo sistema nervoso central.

15) O que são fatores de crescimento e quais os prejuízos que causam à saúde do atleta ?

Os fatores de crescimento representam um grupo muito diversificado de substâncias que potencializam diretamente o crescimento de órgãos e tecidos ou que servem de mediadores para a estimulação de outros fatores de crescimento. Os prejuízos para a saúde estão relacionados com alterações da homeostasia do corpo humano, não existindo até o momento estudos científicos que garantam a segurança da sua administração terapêutica.

16) Quais os prejuízos para a saúde causados pelos beta2-agonistas?

Os beta2-agonistas são mais comumente conhecidos como aliviadores de asma ou broncodilatadores. São fármacos que relaxam e abrem as vias aéreas (brônquios) que se estreitam durante um ataque de asma. Em doses altas essas substâncias possuem efeitos anabolizantes que provocam alterações graves do ritmo cardíaco, com o aparecimento de arritmias que podem ser fatais.

17) Quais os prejuízos para a saúde causados pelos antagonistas hormonais e moduladores?

Os antagonistas hormonais e moduladores representam um conjunto muito diversificado de grupos farmacológicos de antagonistas hormonais e moduladores que têm efeitos semelhantes ao dos agentes anabolizantes. Quando utilizados em altas dosagens com intuito de aumentar o rendimento esportivo podem ocasionar hipertrofia desregulada de determinados órgãos, com os inerentes malefícios orgânicos que daí podem advir, como no caso da miostatina.

18) Quais os prejuízos para a saúde causados pelo uso de diuréticos?

Os diuréticos são substâncias que aumentam a formação de urina pelos rins. Os principais prejuízos para a saúde do atleta são: ocorrência de graves perturbações do ritmo cardíaco por alterações do metabolismo do potássio que podem conduzir à morte. Além disso, podem causar desidratação em razão da perda exagerada de líquidos, que pode ser grave em condições adversas de arrefecimento orgânico (muito calor e umidade relativa elevada). Os diuréticos podem ainda causar alterações no metabolismo glucídico, com tendência para a hiperglicemia, conduzir a níveis elevados de ácido úrico no sangue e provocar alterações no metabolismo do cálcio e sódio que podem predispor os atletas a um quadro de lesões esportivas.

19) Quais os prejuízos para a saúde causados pelo uso de estimulantes?

Estimulantes são substâncias que têm um efeito direto sobre o sistema nervoso central, aumentando a estimulação do sistema cardíaco e metabólico. Os estimulantes psicomotores, como é o caso das anfetaminas e substâncias similares, provocam perda de discernimento e, em certas modalidades esportivas, contribuem para a ocorrência de acidentes. Ao provocarem a supressão da sensação de fadiga retiram ao organismo o seu “termostato”, fazendo com que se prossiga com o esforço ultrapassando todos os limites fisiológicos, sendo desse modo um risco para a vida do atleta.

20) Que outros prejuízos para a saúde determinados estimulantes podem causar?

A ingestão de anfetaminas pode causar agitação, irritabilidade, euforia, insonias, tonturas, tremores, dores de cabeça e náuseas, e sintomas mais graves, como confusão mental, aumento da agressividade, convulsões, alucinações e delírio.

21) Por que o uso de estimulantes pode levar à morte do atleta?

Ao aumentarem a tensão arterial e a frequência cardíaca, os estimulantes podem predispor a crises hipertensivas, hemorragias cerebrais e arritmias cardíacas graves, que podem conduzir à morte.

22) Quais as conseqüências do uso continuado de estimulantes  por parte de atletas?

A utilização continuada pode conduzir a dependência física e psíquica, originando sintomatologia quando se interrompe a sua toma (síndrome de abstinência). O uso prolongado pode também resultar em emagrecimento, psicoses e doenças neurológicas. Em doses altas as aminas simpaticomiméticas, como é o caso das efedrinas, podem provocar dores de cabeça, aumento da ansiedade, alterações do ritmo cardíaco e convulsões.

23) O uso indiscriminado de estimulantes pode ser responsável por uma morte súbita de um atleta em competição?

Sim. Ao inibir os sinais anunciadores de golpe de calor e da desidratação e, simultaneamente, a capacidade de percepção da fadiga, estas substâncias fazem com que o organismo ultrapasse os seus limites fisiológicos e agrave a desidratação, sem que o atleta perceba. Muitas das mortes súbitas em competição são ocasionadas pela ingestão de substâncias proibidas.

24) Quais os prejuízos para a saúde do atleta causados pelo uso dos canabinóides, mais conhecidos como maconha?

Os canabinóides interferem com a maior parte das funções psicomotoras (coordenação de movimentos, tempo de reação, percepção e acuidade visual), prejudicando o desempenho esportivo e predispondo o atleta a um maior risco de lesões, acidentes graves ou mesmo casos de morte.

25) Quais os prejuízos para a saúde do atleta causados pelo uso da cocaína?

A cocaína é uma substância estimulante que pode causar a morte em competição por provocar espasmo das artérias coronárias com o surgimento de enfarte do miocárdio. Os efeitos adversos desta droga são muito semelhantes aos das anfetaminas: viciam e provocam alterações psíquicas graves, tais como inibição da percepção de dor e fadiga e aumento da agressividade.

26) E outros narcóticos, quais os maiores efeitos nocivos para a saúde do atleta?

Os narcóticos proibidos no esporte estão representados pela morfina e compostos químicos e farmacológicos análogos, derivados do ópio. Eles atuam ao nível do sistema nervoso central, diminuindo a sensação de dor e por isso são utilizados para mascarar a sensação de dor e as manifestações da fadiga. Podem ocasionar efeitos secundários como náuseas, vômitos, tonturas, prisão de ventre, cólicas abdominais e também originar perturbações mais graves com risco de dependência física e psíquica (efeito viciante), delírio e mesmo a morte por parada respiratória. Ao inibirem as manifestações da fadiga, podem fazer com que o atleta ultrapasse os seus limites físicos, pondo em risco a própria vida.

27) Quais os prejuízos para a saúde do atleta causados pelo uso de glucocorticóides?

Os glucocorticóides são substâncias que possuem uma ação anti-inflamatória muito potente e por isso são utilizadas pelos atletas para facilitar a recuperação muscular, mascarando a sensação de dor, e obter um efeito euforizante. Seu uso continuado pode ocasionar efeitos adversos graves, como úlceras gastroduodenais com risco de hemorragia digestiva por perfuração, predisposição para a diabetes e para a osteoporose, aparecimento de alterações psíquicas, cataratas, predisposição para o aparecimento do glaucoma e da insuficiência supra-renal.

28) Quais os prejuízos para a saúde do atleta causados pelo uso de beta-bloqueadores?

Os beta-bloqueadores são utilizados para o tratamento da hipertensão arterial e de situações pós-enfarte do miocárdio. O uso indiscriminado dessas substâncias pode provocar alterações do sono, alucinações e depressão. Em asmáticos e pessoas com problemas da condução cardíaca, podem provocar agravamento da asma ou mesmo parada cardíaca. Seu uso prolongado gera alterações do perfil lipídico, predispondo a doenças cardiovasculares. Em atletas diabéticos podem encobrir os sinais de hipoglicemia conduzindo à morte.

29) Quais os prejuízos para a saúde do atleta causados pela utilização de métodos de incremento do transporte de oxigênio?

Também considerados Dopagem sanguínea, esses métodos incluem as transfusões sanguíneas, os produtos eritrocitários de qualquer origem e outros métodos que induzam a um incremento artificial da captação, transporte ou liberação de oxigênio. Podem provocar efeitos adversos, quer seja via autotransfusão ou heterotransfusão. A autotransfusão pode predispor a infecções sanguíneas, embolia gasosa, acidentes vasculares cerebrais, hipertensão arterial e choque. As heterotransfusões, além das situações mencionadas, podem ocasionar a transmissão da Hepatite B e C e do HIV, assim como a possibilidade de hemólise (destruição brusca dos glóbulos vermelhos por reações de incompatibilidade A, B, O e Rh).

 

30) As transfusões sanguíneas realizadas em hospitais são comuns e raramente causam problemas para a saúde. Por que em casos de Dopagem isso é grave?

Os hospitais contam com uma série de procedimentos que são respeitados pelos profissionais de saúde que ali trabalham. A realização de transfusões fora do ambiente hospitalar não segue as mesmas regras, utilizando sangue mal acondicionado e administrado por pessoal não qualificado, o que pode conduzir à morte.

31) Que outros problemas são gerados ao se utilizar métodos de incremento do transporte de oxigênio?

Todos os métodos que possam provocar um incremento artificial da captação, transporte ou libertação de oxigênio podem conduzir a um aumento da produção de radicais livres de oxigênio, causando graves lesões orgânicas, com destruição das membranas e proteínas celulares, de estruturas articulares e mesmo a lesão do ADN dos cromossomas. Podem conduzir ao aparecimento de neoplasias e a uma maior predisposição para doenças cardiovasculares.

32) Quais os prejuízos para a saúde do atleta causados pela manipulação química e física?

Estes métodos de Dopagem podem representar uma grande diversidade de técnicas que levam à adulteração, ou tentativa de adulteração da integridade das amostras recolhidas no âmbito de um controle de Dopagem. As cateterizações e as infusões intravenosas realizadas como método de Dopagem são utilizadas geralmente em condições que não respeitam as boas práticas em cuidados de saúde e muitas vezes são realizadas por pessoal não qualificado, sem condições ideais de assepsia e em locais inapropriados.

33) Quais os prejuízos para a saúde do atleta causados pela Dopagem genética?

A Dopagem genética representa a transferência de células - ou de elementos genéticos - e o uso de agentes farmacológicos ou biológicos que alterem a expressão genética com o intuito de melhorar o rendimento esportivo. A eficácia da Dopagem genética no aumento do rendimento esportivo não está comprovada cientificamente. A maioria das técnicas de manipulação genética visa a alteração do material genético de células e a estimulação da sua replicação, sem que no entanto existam mecanismos que controlem esses processos. Podem causar maior predisposição para o aparecimento de neoplasias, além de não se conhecerem os efeitos a longo prazo, considerando se tratar de técnicas muito recentes, desprovidas de estudos longitudinais que permitam garantir a sua segurança.

Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem – ABCD
Setor de Indústrias Gráficas - SIG, Quadra 04, lote 83
Bloco C, 2º andar, sala 201
Condomínio Capital Financial Center
70610-440 - Brasília DF
Tel: +55 61 3429 6919
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

© 2014 Ministério do Esporte. Todos os direitos reservados.