Perguntas e Respostas
Nessa seção você poderá tirar todas as suas dúvidas sobre a Dopagem no Esporte e também sobre as ações que a compõem.

 

 
 

 

 

Dopagem

 

1) O que é dopagem?

Dopagem (doping em inglês) é popularmente conhecida como a utilização de substâncias ou métodos proibidos capazes de promover alterações físicas e/ou psíquicas que melhoram artificialmente o desempenho esportivo do atleta.

No âmbito dos organismos nacionais e internacionais antidopagem, incluindo a ABCD, a definição de Dopagem é mais abrangente e está relacionada com a ocorrência de uma ou mais violações às regras estabelecidas nos artigos 2.1 a 2.10 do Código Mundial Antidopagem. Verifique o Código e informe-se. 

2) Quais são as situações definidas como casos de Dopagem pelo Código Mundial Antidopagem?

O Código Mundial Antidopagem estabelece em seus artigos 2.1 a 2.10 as seguintes situações consideradas como sendo casos de Dopagem:
2.1 A presença de uma Substância Proibida, de seus Metabolitos ou Marcadores na Amostra de um Atleta
2.2 Uso ou Tentativa de Uso de uma Substância ou Método Proibido por um Atleta
2.3 Fuga, Recusa ou Falha em se submeter à coleta de Amostras
2.4 Falhas de Localização
2.5 Fraude ou Tentativa de Fraude de qualquer parte do processo de Controle de Dopagem
2.6 Posse de uma Substância ou Método Proibido
2.7 Tráfico ou Tentativa de Tráfico de uma Substância ou Método Proibido
2.8 Administração ou Tentativa de Administração a um Atleta Em-Competição de qualquer Substância ou Método Proibido, ou Administração ou Tentativa de Administração a um Atleta Fora-de-Competição de qualquer Substância ou Método proibido Fora-de-Competição
2.9 Cumplicidade
2.10 Associação Proibida

3) O que é a dopagem sanguínea?

É o uso de substâncias ou métodos proibidos, presentes na Lista da Agência Mundial Antidopagem – AMA, que aumentam o número de glóbulos vermelhos no sangue, fornecendo mais oxigênio aos músculos e melhorando o rendimento do atleta

4) Por que a Dopagem deve ser combatida?

Dopagem é fraude, corrupção, covardia. É uma ameaça ao Esporte e por isso deve ser combatida. Toda competição só faz sentido se disputada com justiça e ética entre os participantes.

5) De que forma o atleta que não se dopa é prejudicado pela Dopagem?

A Dopagem rouba do verdadeiro atleta o tempo, o esforço e o sacrifício de toda uma vida dedicada ao esporte

6) Em uma competição, se todos os atletas se dopassem não estariam disputando em igualdade de condições?

Não. Existem diferentes mecanismos de Dopagem, dos mais simples aos mais sofisticados. Isso significa, na prática, a exclusão de atletas que não dispõe de recursos financeiros para se doparem. Além disso, a maior parte dos atletas não está disposta a suportar os efeitos colaterais e o risco para a saúde que a Dopagem provoca, sem falar na rede de corrupção e crime que existe por trás dela.

7) Por que a Dopagem traz risco para a saúde do atleta?

A Dopagem pode ocasionar sérios riscos para a saúde do atleta, inclusive risco de vida. Muitas vezes a freqüência de uso ou as elevadas doses de medicamentos utilizados em práticas de Dopagem são extremamente perigosas porque diferem totalmente daquelas adotadas para fins terapêuticos

8) Quais são os efeitos colaterais da Dopagem prejudiciais à saúde do atleta?

Dependendo da substância ou do método proibido utilizado, a Dopagem pode provocar inúmeros efeitos colaterais. Saiba mais acessando o item Prejuízos para a Saúde do Atleta

9) A proibição da Dopagem não torna a competição mais sem graça para quem assiste?

O combate à Dopagem é uma questão de ética e justiça. Não se trata de manter ou aumentar a audiência nas competições. Torcedores e amantes do Esporte não gostam de ser enganados

10) Conheço um atleta que se dopa. Posso fazer uma denúncia sem me identificar?

Sim. Qualquer denúncia, anônima ou não, pode ser endereçada à Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem – ABCD, por meio do endereço eletrônico: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . Todas as informações serão tratadas de forma confidencial e utilizadas exclusivamente para o fortalecimento da Luta Contra a Dopagem no Esporte

11) Qualquer traço de substância proibida no organismo é considerado Dopagem?

Sim. Independentemente da quantidade, toda substância proibida que for detectada nos testes de controle será considerada Dopagem, exceto as substâncias que têm limite de positividade de acordo com a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos da Agência Mundial Antidopagem - AMA

World Anti-Doping Agency - WADA na sigla em inglês.

 

12) O que acontece se o atleta apresentar justificativa alegando que a Dopagem foi involuntária?

Segundo o Código Mundial Antidopagem, é responsabilidade de cada atleta assegurar que nenhuma substância proibida relacionada na Lista de Substâncias e Métodos Proibidos da Agência Mundial Antidopagem - AMA seja ingerida ou entre em contato com seu corpo. Dizer que não houve intenção, culpa, negligência ou qualquer outra justificativa não elimina a violação das regras antidopagem

World Anti-Doping Agency - WADA na sigla em inglês.

 

13) As regras estabelecidas pelo Código Mundial Antidopagem se aplicam somente aos atletas?

Não. O Código Mundial Antidopagem vale tanto para o atleta quanto para a equipe técnica e todos os profissionais que tenham alguma responsabilidade no processo de Dopagem. O artigo 2.9 do Código Mundial Antidopagem prevê como violação a “assistência, incitação, contribuição, conspiração, acobertamento ou qualquer outro tipo de cumplicidade intencional que implique em violação ou tentativa de violação das regras antidopagem”. Verifique o Código e informe-se:

 

14) O que o atleta perde utilizando a Dopagem?

Além da suspensão das competições, se for beneficiário do Programa Bolsa-Atleta o atleta perde o direito ao benefício concedido pelo Governo Federal, os prêmios recebidos (troféus, medalhas etc), bem como os patrocínios firmados com empresas públicas e privadas, se houver, comprometendo sua reputação e credibilidade. Acima de tudo, o atleta perde o respeito da sua família, da sua equipe técnica e de outros atletas

 

15) O que o atleta deve fazer para prevenir-se contra a Dopagem?

Nos sites da Agência Mundial Antidiopagem – AMA e da ABCD o atleta encontra as informações necessárias à sua proteção. Em caso de dúvidas, o atleta poderá solicitar ajuda à ABCD enviando e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . O atleta deve, ainda, buscar informações junto às entidades esportivas da qual faz parte (Clube, Associação, Federação, Confederação e Comitê), conversar com seu treinador, médico e demais profissionais que integram a equipe técnica

 

 

Entidades de Controle de Dopagem

 

1) O que é a ABCD?

A ABCD é uma Secretaria Nacional do Ministério do Esporte responsável pela Luta contra a Dopagem no Esporte. A sigla ABCD significa Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem.

2) Qual o papel da ABCD?

Defender o direito dos atletas brasileiros de participarem de competições esportivas livres de quaisquer formas de Dopagem e consolidar a consciência antidopagem no País.

3) O que é AMA?

A Agência Mundial Antidopagem – AMA é uma organização internacional independente criada em 1999 para promover, coordenar e acompanhar a luta antidopagem no Esporte

World Anti-Doping Agency - WADA na sigla em inglês

 

4) Qual o papel da AMA?

O papel da Agência Mundial Antidopagem – AMA é promover e coordenar, em nível internacional, a Luta contra a Dopagem no Esporte. Para isso, a AMA trabalha na disseminação, harmonização e adoção em todo o mundo das políticas e diretrizes estabelecidas pelo Código Mundial Antidopagem.

5) Como os Comitês, as Confederações, as Associações, as Federações e os Clubes atuam na Luta Contra a Dopagem no Esporte?

Todas as entidades de administração esportiva que recebem recursos públicos ou incentivos fiscais precisam ter o compromisso de aderirem à Luta contra a Dopagem no Esporte e de promoverem ações de educação, prevenção e controle de Dopagem.

6) Como a ABCD atua na Luta Contra a Dopagem no Esporte?

A ABCD atua com as seguintes premissas: Informação para conscientizar o atleta, familiares e sociedade em geral sobre os riscos da Dopagem; Educação para levar conhecimento aos diferentes segmentos de atletas, equipes técnicas e outros públicos de interesse sobre políticas e ações antidopagem; Prevenção para evitar a Dopagem; Inteligência para definir grupos-alvos de atletas, tipos de testes por Esporte e para investigar denúncias e suspeitas de casos de Dopagem; Ações para realização de controles realizados Em-Competição e Fora-de-Competição (Planos de Distribuição de Testes).

7) A ABCD pretende atuar também junto a academias de ginástica e centros de treinamento?

Sim. Muitos freqüentadores de academias, atletas e não atletas, podem estar utilizando indevidamente esteróides anabolizantes e estimulantes sem o necessário acompanhamento médico, arcando muitas vezes com os efeitos colaterais que essas substâncias provocam no organismo. Por meio de ações de informação e educação, a ABCD pretende chamar a atenção da sociedade para este tema.

Agentes de Controle de Dopagem

 

1) Quem são os profissionais responsáveis pela realização dos Controles de Dopagem?

São os Agentes de Controle de Dopagem , representados pelos Oficiais de Controle de Dopagem, Oficiais de Coleta de Sangue, Escoltas, Gerentes e Operadores de Estação de Controle de Dopagem

Doping Control Officers – DCO, Blood Collection Officers – BCO, Chaperones, Doping Control Stations Managers e Doping Control Stations Operators, nas respectivas siglas em inglês

 

2) Qual a atribuição do Oficial de Controle de Dopagem?

O Oficial de Controle de Dopagem coordena e executa a coleta de amostras do atleta que é submetido a um Controle de Dopagem, seja nos testes realizados “Em-Competição” ou “Fora-de-Competição”.

3) Qual a atribuição do Oficial de Coleta de Sangue?

O Oficial de Coleta de Sangue é um profissional da área de saúde que trabalha em conjunto com o Oficial de Controle de Dopagem, e está legalmente autorizado a fazer a coleta de sangue do atleta.

4) Qual a atribuição do Escolta?

O Escolta (ou Chaperone na língua inglesa) é o profissional treinado que notifica, acompanha e observa o atleta durante o processo de coleta de amostras.

5) Qual a atribuição do Gerente de Estação de Controle de Dopagem?

O Gerente de Estação de Controle de Dopagem trabalha para que todas as necessidades dos atletas e do Oficial de Controle de Dopagem sejam atendidas conforme previsto no Padrão Internacional para Testes e Investigações da Agência Mundial Antidopagem - AMA , assegurando a segurança dos procedimentos, privacidade e o conforto do atleta

World Anti-Doping Agency - WADA na sigla em inglês

 

6) Qual a atribuição do Operador de Estação de Controle de Dopagem?

O Operador de Estação de Controle de Dopagem auxilia o Gerente de Estação de Controle de Dopagem na execução das providências para o atendimento das necessidades dos atletas e do Oficial de Controle de Dopagem, conforme previsto no Padrão Internacional para Testes e Investigações da Agência Mundial Antidopagem - AMA.

7) O que são as Jornadas ABCD de Formação de Agentes de Controle de Dopagem?

São cursos elaborados e oferecidos pela ABCD para capacitação e reciclagem de Agentes de Controle de Dopagem.

8) Quando acontecem as Jornadas ABCD?

As cinco primeiras edições das Jornadas ABCD de Formação de Agentes de Controle de Dopagem (Oficial de Controle de Dopagem, Oficial de Coleta de Sangue, Líderes de Escolta etc) aconteceram ao longo de 2014. As próximas Jornadas estão previstas para o primeiro semestre de 2015. Fique atento às informações que serão divulgadas em breve neste site: www.abcd.gov.br

9) Os Agentes de Controle de Dopagem formados nas Jornadas ABCD vão trabalhar nos Jogos Rio2016?

Os profissionais que concluíram as Jornadas estão aptos a buscar a Certificação da ABCD que irá exigir a execução de, no mínimo, cinco Controles de Dopagem supervisionados, um exame escrito e um Controle de Dopagem auditado. Caso sejam aprovados, os certificados estarão aptos para se candidatar a trabalhar nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio2016.

10) De que maneira o atleta deve proceder se considerar indevida a conduta adotada por algum profissional responsável pelo Controle de Dopagem?

O atleta deve registrar todas as observações que entender relevantes, inclusive procedimentos e posturas profissionais inadequados, no espaço indicado para este registro no Formulário de Controle de Dopagem.

Código Mundial Antidopagem

 

1) O que é o Código Mundial Antidopagem?

É o conjunto de normas que têm o objetivo de unir e fortalecer as políticas antidopagem adotadas por todos os países que aderiram à Convenção Internacional contra a Dopagem no Esporte. Fique por dentro. Conheça agora o Novo Código que entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2015. 

2) O que é a Convenção Internacional contra a Dopagem no Esporte?

A Convenção Internacional contra a Dopagem no Esporte foi realizada em 2005, em Paris, sob coordenação da UNESCO, e reuniu países de todo o mundo que se comprometeram com a prevenção e o combate à Dopagem no Esporte.

3) Quais os objetivos do Código Mundial Antidopagem?

Proteger o direito fundamental dos atletas de participar de competições esportivas livres de Dopagem; promover a saúde, a justiça e a equidade no Esporte; e assegurar a promoção de programas de educação e prevenção contra a Dopagem em nível internacional.

4) O Código Mundial Antidopagem prevê punições para quem se dopa?

Sim. O Código Mundial Antidopagem contempla as infrações e penalidades impostas aos atletas e equipe técnica, treinadores ou médicos envolvidos nos casos de Dopagem comprovada.

5) O que é a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos?

É uma lista estabelecida pela Agência Mundial Antidopagem – AMA com todas as substâncias ou métodos proibidos no Esporte capazes de promover alterações físicas ou psíquicas que aumentam o rendimento do atleta.

World Anti-Doping Agency - WADA na sigla em inglês

 

6) Quando foi lançada a primeira Lista de Substâncias e Métodos Proibidos?

A primeira Lista de Substâncias e Métodos Proibidos foi publicada em 1963 pelo Comitê Olímpico Internacional – COI, entidade responsável pela sua criação.

7) Onde posso encontrar a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos?

Nos sites www.wada-ama.org  e no site www.abcd.gov.br , onde é possível descobrir se determinado medicamento contém alguma substância proibida.

8) Todas as substâncias incluídas na Lista são proibidas Fora-de-Competição?

Não.  A Lista contem três seções distintas. Uma primeira onde estão listadas as substâncias e os métodos proibidos tanto Em-Competição como Fora-de-Competição; uma segunda onde são relacionadas as substâncias que só são proibidas Em-Competição e uma última seção na qual são definidas as substâncias proibidas apenas em alguns Esportes.

9) Como uma nova substância é incluída nessa Lista?

A Agência Mundial Antidopagem – AMA reúne periodicamente especialistas para avaliar a Lista. Uma substância é incluída se melhorar o desempenho esportivo, mascarar a utilização de outras substâncias proibidas ou sinalizar a utilização de métodos proibidos, o que indica violação ao estabelecido no Código Mundial Antidopagem.

10) Que outros critérios podem ser utilizados para que uma substância possa ser incluída na Lista?

O fato de uma substância prejudicar ou ter potencial para prejudicar a saúde do atleta ou o risco de comprometer o espírito esportivo podem ser fatores utilizados como critérios de inclusão.

11) Incluída uma substância, como a nova Lista é aprovada?

A Lista é preparada ao longo do ano e as organizações antidopagem de diferentes países e Federações Internacionais são convidadas para avaliar a nova versão. Finalizada esta etapa, a nova Lista é aprovada pelo Comitê Executivo da Agência Mundial Antidopagem – AMA e passa a valer para todos os países.

World Anti-Doping Agency - WADA na sigla em inglês

 

12) Quem publica as atualizações da Lista de Substâncias e Métodos Proibidos?

Cabe à Agência Mundial Antidopagem – AMA a responsabilidade pela preparação e publicação anual das atualizações da Lista.

13) Existe um período em que a Lista é revisada?

Sim. A revisão normalmente acontece uma vez por ano. A Agência Mundial Antidopagem – AMA publica a Lista no dia 1º de outubro com data de vigência a partir de 1º de janeiro do ano seguinte. Isso ocorre para que durante os três meses que antecedem a sua vigência todos os interessados possam ser informados previamente, especialmente os atletas. Independentemente disso, a AMA pode decidir rever a Lista a qualquer momento, sempre que uma nova substância ou método proibido é identificado.

Processo de Controle de Dopagem

 

1) O que são os Controles de Dopagem?

São exames que consistem na coleta de amostras de urina e/ou sangue a serem enviadas para laboratórios credenciados pela Agência Mundial Antidopagem - AMA com a finalidade de identificar a presença de substâncias ou métodos proibidos que constam da Lista de Substâncias e Métodos Proibidos da Agência Mundial Antidopagem - AMA .

World Anti-Doping Agency - WADA na sigla em inglês

World Anti-Doping Agency - WADA na sigla em inglês

 

2) O atleta só pode ser testado Em Competição?

Não. O atleta também pode ser testado Fora-de-Competição, podendo ser abordado por um Oficial de Controle de Dopagem em casa ou no local de treinamento, por exemplo.

3) O que é um Resultado Analítico Adverso?

É mais conhecido como teste positivo, ou seja, quando a utilização de substância ou método proibido no Esporte é detectada nos exames de laboratório.

4) Por que existe a necessidade de testes Fora-de-Competição?

Porque eles agregam o fator surpresa, impedindo que o atleta, com base no calendário de competições, mascare a Dopagem ao interromper o uso da droga e limpar o organismo antes do início de uma prova, por exemplo.

5) Quem está sujeito a testes Fora-de-Competição?

Qualquer atleta pode ser selecionado para testes Fora-de-Competição. No entanto, por decisão estratégica da ABCD, os atletas brasileiros beneficiários do Bolsa-Pódio ou do Bolsa-Atleta são considerados grupos prioritários.

6) O que é um Grupo Alvo de Testes?

O Grupo Alvo de Testes representa um grupo de atletas de alto rendimento que são selecionados por uma organização antidopagem para fornecerem informações sobre sua localização, permitindo que sejam facilmente encontrados para a realização de controles de Dopagem Fora-de-Competição.

7) Como é composto o Grupo Alvo de Testes da ABCD?

O Grupo Alvo de Testes da ABCD é composto por atletas do Bolsa-Pódio e do Bolsa-Atleta, além de outros selecionados com base em critérios definidos pela ABCD.

8) Como sei se integro o Grupo Alvo de Testes da ABCD?

A ABCD notifica oficialmente todos os atletas que integram o seu Grupo Alvo de Testes, informando-os sobre seus Direitos e Deveres. O atleta ficará no Grupo Alvo de Testes da ABCD até ser formalmente notificado sobre sua exclusão.

9) O atleta pode estar simultaneamente no Grupo Alvo de Testes da ABCD e da sua Federação Internacional?

Não. Se o atleta já está no Grupo Alvo de Testes de sua Federação Internacional ele não deverá constar no Grupo Alvo de Testes da ABCD e vice-versa.

10) Como os atletas do Grupo Alvo de Testes da ABCD são encontrados para os testes Fora-de-Competição?

Eles estão cadastrados no Sistema de Localização da Agência Mundial Antidopagem – AMA (Whereabout), que faz parte do Sistema ADAMS , onde deverão manter atualizadas as informações que permitam sua localização a qualquer hora.

World Anti-Doping Agency - WADA na sigla em inglês

Anti-Doping Administration and Management System – ADAMS na sigla em inglês

 

11) O que acontece se o Oficial de Controle de Dopagem não conseguir encontrar o atleta selecionado para testes Fora-de-Competição no local previamente informado?

A falha de localização é comunicada à ABCD pelo Oficial de Controle de Dopagem e, se for motivada pela falta de atualização do Sistema de Localização (Whereabout), poderá ser considerada como um teste não realizado.

12) E se houver um imprevisto que impeça o atleta de comparecer ao local informado no sistema no dia e horário previstos?

As informações podem ser atualizadas a qualquer momento, mas, em caso de imprevisto, o Oficial registrará a falha de localização, devendo o atleta esclarecer os motivos de não ser encontrado no local informado no Sistema ADAMS , cabendo à ABCD ou à Federação Internacional correspondente decidir se esse esclarecimento pode ou não servir como justificativa da ausência.

Anti-Doping Administration and Management System – ADAMS na sigla em inglês

 

13) Quantas falhas de localização e/ou testes não realizados  são necessários para caracterizar uma violação à regra antidopagem?

Três ocorrências de falha de localização e/ou testes não realizados em um período de 12 meses resultarão em uma violação à regra antidopagem.

14) O que é um controle surpresa?

É um Controle de Dopagem que é realizado sem nenhum aviso prévio ao atleta e durante o qual o atleta é acompanhado permanentemente, desde o momento da notificação até a coleta da amostra.

15) Existe um número máximo de vezes que um atleta pode ser testado por ano?

Não existe limite quanto ao número de vezes que um atleta pode ser testado anualmente, sejam testes Em-Competição ou Fora-de-Competição.

16) Quais são as etapas do Controle de Dopagem?

São sete as etapas de Controle de Dopagem: planejamento, seleção de atletas, notificação, coleta de amostras, transporte de amostras, análise laboratorial e gestão dos resultados.

17) Quem faz o planejamento dos Controles de Dopagem e posterior notificação dos atletas?

Como decorrência do planejamento, a notificação pode ser realizada por qualquer uma das seguintes entidades: Agência Mundial Antidopagem – AMA , ABCD, comitê organizador do evento, Comitê Olímpico Internacional, Comitê Paralímpico Internacional, Confederação Nacional ou Federação Internacional de qualquer modalidade esportiva.

World Anti-Doping Agency - WADA na sigla em inglês

 

18) Como ocorre a seleção do atleta submetido ao Controle de Dopagem?

O atleta pode ser selecionado para o Controle de Dopagem em qualquer momento e lugar. Em-Competição: por um critério específico, que inclui a seleção aleatória, ou a colocação obtida na competição entre outros critérios. Fora-de-Competição: a qualquer momento e lugar, sem aviso prévio, por seleção aleatória ou de forma dirigida.

19) Como é feita a notificação do atleta Em-Competição?

O atleta é abordado por um Agente de Controle de Dopagem (Escolta) que se identifica e passa a acompanhá-lo até que ele forneça a amostra para exame. O atleta precisa assinar a notificação para realização do Controle de Dopagem.

20) Como o atleta deve proceder ao ser notificado para fazer o teste?

O atleta deve: permanecer em observação direta pelo Agente de Controle de Dopagem, desde a notificação até o fim do processo de coleta de amostras; fornecer a devida identificação conforme exigido pela autoridade; cumprir com os procedimentos de coleta de amostra; e apresentar-se imediatamente na Estação de Controle de Dopagem.

21) A notificação se dá apenas em competições oficiais?

Não. Os atletas estão obrigados a se submeterem a Controles de Dopagem nas competições oficiais e também Fora-de-Competição.

22) O atleta pode alegar que não foi notificado?

Sim, mas precisará provar sua alegação. De acordo com o Código Mundial Antidopagem, recusar-se a realizar os Controles de Dopagem representa uma violação de regra antidopagem.

23) Como ocorre a etapa de coleta das amostras?

O atleta deverá fornecer uma amostra de urina e/ou sangue na presença de um Oficial de Controle de Dopagem. A presença de um representante é opcional para os atletas maiores de idade e obrigatória caso o atleta seja menor de idade ou tenha determinado tipo de necessidades especiais.

24) Uma amostra é suficiente para o controle de Dopagem?

Normalmente sim. No entanto, dependendo da concentração de urina, que não pode estar muito diluída, amostras adicionais podem ser necessárias. A amostra será distribuída pelo atleta entre dois recipientes distintos, resultando em uma amostra A e uma amostra B.

25) Qual a função do Formulário de Controle de Dopagem?

O Formulário de Controle de Dopagem serve para registrar todo o processo do Controle de Dopagem. O atleta deve apresentar documento de identidade com foto, confirmar se as informações disponíveis e códigos das amostras estão corretos, assinar e receber a cópia do Formulário no final do processo.

26) Devo declarar ao Oficial de Controle de Dopagem os medicamentos que estou tomando?

Sim. O atleta deve declarar ao Oficial de Controle de Dopagem todos os medicamentos, suplementos alimentares e produtos herbáceos que utilizou nos últimos sete dias. O Oficial registrará essa informação no local indicado para este efeito no Formulário de Controle de Dopagem.

27) Como acontece a etapa de análise do laboratório?

As amostras são enviadas sob cadeia de custódia a um laboratório acreditado pela Agência Mundial Antidopagem – AMA . A amostra A é analisada e a B, armazenada para servir como contraprova no caso de um Resultado Analítico Adverso .

World Anti-Doping Agency - WADA na sigla em inglês

Adverse Analytical Finding – AAF na sigla em inglês

 

28) Para onde são enviados os resultados dos exames realizados no Brasil?

Os resultados dos exames realizados no Brasil são enviados para as entidades responsáveis pelo teste, para a ABCD e para a Agência Mundial Antidopagem – AMA .

World Anti-Doping Agency - WADA na sigla em inglês

 

29) As análises de amostras para detecção de substâncias ou métodos proibidos no Esporte podem ser realizadas por qualquer laboratorio?

Não. As análises só podem ser realizadas por laboratórios credenciados pela Agência Mundial Antidopagem – AMA.

30) Se o atleta pedir, seu treinador pode acompanhá-lo até a Estação de Controle de Dopagem?

Sim. Todo atleta tem o direito a um representante durante todas as fases do processo de Controle de Dopagem.

31) A amostra de urina fornecida nos Controles de Dopagem será coletada na presença de um Agente do sexo masculino ou feminino?

Deverá haver sempre um Agente de Controle de Dopagem do mesmo sexo que o atleta no momento da coleta das amostras.

32) Por que o Oficial de Controle de Dopagem precisa observar a intimidade da coleta de urina?

É um procedimento padronizado pela Agência Mundial Antidopagem – AMA para impedir fraudes durante a coleta.

33) Por que se exige um mínimo de 90 ml de urina?

Os laboratórios testam uma grande diversidade de substâncias proibidas. Na amostra A se exige, pelo menos, 60ml de urina que são utilizados para se realizarem os exames e as respectivas confirmações. Se uma substância proibida for detectada, o material do recipiente B deverá conter, no mínimo, 30ml que pode ser utilizado para confirmar o resultado.

34) O que acontecerá se o atleta não for capaz de fornecer a quantidade de urina necessária?

A amostra parcial será selada, registrada e o atleta fornecerá amostras adicionais até que o volume necessário seja atingido.

35) Como o laboratório abre o recipiente “A” se a embalagem é lacrada?

Os laboratórios possuem uma ferramenta especial que separa a tampa do respectivo recipiente e inutiliza o lacre sem comprometer o material ali armazenado.

36) A pessoa que recebe e trata a amostra no laboratório conhece a identidade do atleta?

Não. As únicas informações transmitidas ao laboratório relacionadas ao atleta são o número da amostra, a modalidade esportiva, evento (caso seja Em Competição), gênero, Federação, data e hora da coleta do material.

37) Se não tem nome, como é possível saber se a amostra não foi confundida com a de outro atleta?

Cada kit de coleta possui um número e é esse número que identifica a amostra. Esse número é registrado no Formulário de Controle de Dopagem na presença do atleta no momento da coleta da amostra. Apenas a entidade responsável pelo Controle de Dopagem tem acesso ao original do Formulário de Controle de Dopagem e está, desse modo, habilitada a decodificar o número da amostra e identificar o atleta.

38) Em que momento a amostra volta a ter a identidade do atleta revelada?

Quando um Resultado Analítico Adverso é detectado, o Laboratório informa à entidade responsável pelo Controle de Dopagem o número da amostra onde a substância foi identificada, tornando possível a identificação do atleta.

Adverse Analytical Finding – AAF na sigla em inglês

 

39) Mesmo quando estiver lesionado e não estiver competindo, o atleta continua obrigado a manter atualizadas as informações do Sistema de Localização (Whereabout)?

Sim. Todo atleta incluído em um grupo alvo de testes deve manter suas informações atualizadas, pois a orgnização antidopagem pode necessitar localizá-lo a qualquer momento.

Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem – ABCD
Setor de Indústrias Gráficas - SIG, Quadra 04, lote 83
Bloco C, 2º andar, sala 201
Condomínio Capital Financial Center
70610-440 - Brasília DF
Tel: +55 61 3429 6900
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

© 2019 ABCD. Todos os direitos reservados.