Perguntas e Respostas
Nessa seção você poderá tirar todas as suas dúvidas sobre a Dopagem no Esporte e também sobre as ações que a compõem.

 

 
 

 

 

Atletas com deficiência e menores de idade

 

1) O atleta deficiente intelectual ou menor de idade possui o direito de ser acompanhado em todo o processo de coleta de amostras?

Sim. Tanto o deficiente intelectual quanto o menor de idade tem o direito de ser acompanhado por um representante durante todo o processo, para que ele tenha mais segurança.

Doping Control Officers – DCO, Blood Collection Officers – BCO, Chaperones, Doping Control Stations Managers e Doping Control Stations Operators, nas respectivas siglas em inglês

 

2) Caso um atleta com deficiência física (cadeirante ou não) faça uso de uma bolsa coletora e/ou realize cateterismo, quem realizará a coleta da amostras?

Quem coleta a amostra é sempre o próprio atleta. Caso necessite de auxílio, um representante indicado pelo atleta poderá estar presente na coleta da amostras. Isso será registrado no formulário de controle.

3) De que forma é feita a coleta de amostra de urina nesses atletas?

Para os atletas que fazem uso de bolsa coletora, a bolsa deverá ser esvaziada e uma nova urina deverá ser fornecida diretamente do tubo. Para os atletas que fazem o cateterismo, a sonda utilizada deverá ser nova, lacrada e descartável para o fornecimento da amostra.

4) Como um atleta com deficiência visual deve proceder durante o Controle de Dopagem?

O atleta com deficiência visual (ou baixa visão) irá realizar os mesmos procedimentos que qualquer outro atleta. Entretanto, o atleta poderá solicitar para seu representante ou o próprio Oficial de Controle de Dopagem – OCD conferir os números do kit, frascos, formulário e amostras parciais. Sempre que isso acontecer, será relatado no formulário de controle de dopagem.

5) Um atleta com dificuldade motora deve seguir os mesmos protocolos de Controle de Dopagem?

Sim. Entretanto, caso o atleta tenha dificuldades durante o fornecimento da amostra, o Oficial de Controle de Dopagem – OCD poderá, dentro do regulamento, oferecer adaptações como, por exemplo, um copo coletor maior. Nenhuma manobra adaptativa deve ser feita antes de comunicar o OCD.

6) Atletas menores de idade devem seguir os mesmos protocolos que atletas adultos como, por exemplo, seguir desacompanhado para a estação de controle de dopagem para realizar a coleta?

Não. O atleta menor de idade deve seguir os mesmos protocolos, mas na presença obrigatória de seu representante. Apenas durante a coleta da amostra de urina, o atleta pode escolher se quer ou não a presença do representante. Qualquer alteração nos procedimentos deve ser indicada pelo oficial de controle ou pelo atleta no formulário de controle.

7) Atletas com deficiência ou menores de idade podem fazer parte do Grupo Alvo de Testes e serem testados Fora-de-Competição em suas residências?

Sim, desde que um adulto esteja presente como representante do atleta.

8) Atletas com deficiência possuem a autorização de usar qualquer medicamento apenas tendo a prescrição médica?

Não, o atleta com deficiência deve, como qualquer outro, procurar um médico e explicar que está sujeito ao controle de dopagem. Caso seja necessária a utilização de uma substância ou método proibido pela Agência Mundial Antidopagem – WADA-AMA e não exista tratamento alternativo, o atleta, junto com o seu médico, deve solicitar uma AUT- Autorização de Uso Terapêutico, e aguardar a liberação para o uso

Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem – ABCD
Setor de Indústrias Gráficas - SIG, Quadra 04, lote 83
Bloco C, 2º andar, sala 201
Condomínio Capital Financial Center
70610-440 - Brasília DF
Tel: +55 61 3429 6919
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

© 2014 Ministério do Esporte. Todos os direitos reservados.